A Nutrição Integrativa vem para refletir novas formas de pensar, incluindo outras áreas ainda não estudadas para se somarem às teorias e conceitos da nutrição convencional e, resgatar conhecimentos milenares de diversos povos e culturas admitindo novas interpretações do papel e efeito do alimento na vida do ser humano em todas as suas dimensões.

Nutrição Integrativa

Por meio da alimentação equilibrada e individualizada tem o propósito de contribuir para integração do indivíduo, ou seja, compreender que mente, corpo e espírito são partes que se somam em um todo, se completam. E que se alimentar é um ato de cuidado e que só podem ser eficientes quando acompanhados de Amor, Compaixão e Paz.

 

Histórico

Em 2009, teve início na Universidade Federal de São Paulo, mais precisamente, no Departamento de Neurologia e Neurocirurgia, o primeiro curso transdisciplinar de pós-graduação lato sensu, desta renomada instituição de ensino, intitulado Curso de Especialização em Teorias e Técnicas para Cuidados Integrativos; cujo projeto pedagógico foi elaborado e, é coordenado pela profa. Dra. Sissy Veloso Fontes. Atualmente em 2017, este curso está em seu oitavo ano de existência e, já formou aproximadamente 400 alunos, Especialistas em Cuidados Integrativos de diferentes áreas de atuação, incluindo vários nutricionistas.

O que é Cuidado Integrativo?

Para começar a falar desse “novo” modo de entender e fazer nutrição, que foi construído sobre a base epistemológica dos Cuidados Integrativos, é preciso refletir sobre a relação do ser humano com o cuidado, seja de si, do outro ou do ambiente, com os conceitos atuais de nutrição – ciência que estuda todos os processos por meio dos quais o organismo recebe, utiliza e elimina os nutrientes ingeridos, como um ato de cuidar da alimentação do “ser”, como uma atitude de nutrir com amor.

 

Assim como, na epistemiologia dos Cuidados Integrativos, envolve os eixos educação e saúde:

Autoconhecimento – reconhecer que técnicas de cuidados integrativos poderiam possibilitar e ou auxiliar na descoberta consciente de quais alimentos são os mais adequados para a sua saúde.

Alteridade – respeitar o outro como ele é, com suas crenças em relação aos seus hábitos alimentares, considerar todos os aspectos psicoemocionais culturais que fazem parte da história de vida do indivíduo, procurando evitar imposições de dietas e ou orientações alimentares, incompatíveis com a realidade biopsicossocial e espiritual do sujeito.

Transdisciplinaridade – aceitar e reconhecer que além dos nutricionistas, outros profissionais podem atuar de forma positiva na construção e ou na facilitação de hábitos alimentares mais saudáveis. No contexto epistemológico da Nutrição Integrativa, cuidar sempre fez parte da vida do ser humano e a alimentação, semelhante a ato de respirar, permeia todos os momentos e estágios da vida de um indivíduo.

Nutrição Integrativa

Questionamentos da NUTRIÇÃO INTEGRATIVA

Por que? Como? Quando? Onde?