O que é Cuidado Integrativo?

Para começar a falar desse “novo” modo de entender e fazer nutrição, que foi construído sobre a base epistemológica dos Cuidados Integrativos, é preciso refletir sobre a relação do ser humano com o cuidado, seja de si, do outro ou do ambiente, com os conceitos atuais de nutrição – ciência que estuda todos os processos por meio dos quais o organismo recebe, utiliza e elimina os nutrientes ingeridos, como um ato de cuidar da alimentação do “ser”, como uma atitude de nutrir com amor.

Para alguns autores, a origem do termo cuidado, vem do latim e, quer dizer cura. Antigamente esta palavra se escrevia coera, e era usada num contexto de amizade e amor. Expressava a atitude de cuidado, de desvelo, de preocupação e de inquietação pela pessoa amada ou por um objeto de estimação. Outros autores derivam essa palavra de cogitare-cogitatus e de sua corruptela coyedar, coidar, cuidar. O sentido de cogitare-cogitatus é o mesmo de cura: cogitar, imaginar, pensar, dar atenção a, tratar de, mostrar interesse, ter cuidado com a saúde de, curar, revelar uma atitude de desvelo e de preocupação. O cuidado somente surge quando a existência de alguém tem importância para o outro, quando passa dedicar-se a ele, de dispor a participar de seu destino, de suas buscas, de seus sofrimentos e de seus sucessos, enfim, de sua vida. O cuidar não se esgota num ato que começa e acaba em si mesmo, é uma fonte permanente de atos, derivada da natureza do ser humano; é uma atitude de relação amorosa, suave, amigável, harmoniosa e protetora para com a realidade pessoal, social, e ambiental (BOFF, 2012). A palavra “cuidado” permeia a Nutrição Integrativa e em relação ao conceito epistemológico de Cuidados Integrativos, descrito por Fontes (2014): “este consiste em um ‘novo paradigma’ que associa conhecimentos orientais milenares e gregos arcaicos, sabedoria de povos nativos e avanços tecnocientíficos ocidentais modernos promovendo a interface entre, além e através dos eixos ‘Saúde e Educação’, visando cuidar de toda a natureza em geral, onde está incluso, faz parte a natureza humana em toda a sua multidimensionalidade, onde a totalidade é manifesta no ato de cuidar com amor”. Neste contexto, a “Saúde Transdimensional e a Educação Transdisciplinar são bases conceituais dos Cuidados Integrativos; considera-se a prática dos cuidados integrativos em Saúde de per si, um processo de Educação em ‘Bem Ser’ e, em Educação de per si, um processo de saúde em ‘Bem Viver’” (FONTES, 2014). Sendo assim, o “Cuidador Integrativo desempenha sua prática de saúde e de educação ‘alicerçada em valores universais’, éticos (modo de ser), e morais (costumes) com métodos, teorias e técnicas e, habilidades próprias e a serviço de um ‘Propósito Maior’” (FONTES, 2014). Portanto, o “Cuidador Integrativo é aquele que ‘cuida de si, do outro e do planeta’, a partir de uma ‘nova tomada de consciência do saber, do sentir e do fazer’”. Dentro dessa premissa entende-se que todo profissional, inclusive o nutricionista, que tem como objetivo atuar como promotor de saúde, visando um cuidado onde a saúde educa e a educação cura, entende que cuidar inclui todas as dimensões do ser, seja física, psíquica, sociocultural, ambiental ou noética. Diante do exposto acima cabe apresentar o conceito, o histórico e os fundamentos da Nutrição Integrativa.

Referências

BOFF, L. O Cuidado Necessário: na vida, na saúde, na educação, na ecologia, na ética, na espiritualidade. Petrópolis: Vozes; 2012.

FONTES, S.V. Cuidados Integrativos. Termo, Conceito e Visões de Cuidados Integrativos. Disponível em http://www.cuidadosintegrativos.com.br/quem-somos. Acesso em: 16 de novembro de 2015.